The Gentleman’s Guide to Vice and Virtue – Mackenzie Lee

The Gentleman’s Guide to Vice and Virtue ( algo como o Guia do Cavalheiro para os Vicios e as Virtudes) narra a história de Henry Montague, mais conhecido como Monty. Ele foi criado para ser um lorde e um perfeito cavalheiro, mas ele não se comporta como tal. Monty é um apostador, um festeiro, e está sempre bebendo além da conta e acordando nos braços de mulheres ou homens.

No leste há uma tradição conhecida como kintsukuroi. É uma prática de reparar potes de cerâmica quebrados usando laca com ouro e prata e outros metais preciosos. É feito para simbolizar que as coisas podem ser mais bonitas por terem se quebrado.

Depois de ser expulso de mais uma escola de renome a paciência de seu pai está por um fio. Ainda assim em uma última tentativa de tentar colocar algum senso em seu filho, Monty será mandado para seu Grande Tour. O Grande Tour era um hábito comum aos homens bem nascidos da época, que após terminarem seus estudos formais embarcavam em uma viagem para as grandes capitais da época com dois objetivos, o de conhecer os grandes marcos arquitetônicos, aperfeiçoar suas habilidades linguísticas e se aprimorar culturamente e o de aproveitar as festas, as apostas e toda a libertinagem que um garoto de dezoito anos possa usufruir enquanto viaja pela europa, para então retornar para casa e iniciar sua funcionalidade como um membro da sociedade.

Monty embarca na companhia de seu melhor amigo Percy, por quem ele é perdidamente apaixonado; Felicity, sua irmã mais nova que deverá ser deixada em seu novo internato em Marseilles; e pelo mais enfadonho guia que já existiu o Sr. Lockwood que tem como objetivo cortar as asas de Monty e acabar com toda sua diversão, segundo ele próprio.

A verdade é que Percy sempre foi importante para mim, muito antes de eu me apaixonar tão rápido por ele que houve um grande crash. Foi apenas recentemente que o joelho dele bater no meu embaixo da mesa começou a me deixar sem palavras. Uma pequena mudança na gravidade entre nós e de repente todas as minhas estrelas estão sem alinhamento, os planetas saem de suas orbitas e eu estou tropeçando, sem mapa ou direção no desconcertante território de estar apaixonado pelo seu melhor amigo.

É claro que nada sai como planejado e essa é a melhor parte. O livro pega um enorme desvio e se torna uma inusitada aventura, com direito a alquimia, ladrões de estrada, piratas e nudez em Versalhes. A todo momento eu conseguia ver a história como um filme em minha mente e realmente torço para que isso aconteça porque seria incrível. 

Monty é um enorme anti herói, ele é egocêntrico, fala as coisas sem pensar nas conseguências e para apenas olhar para o próprio umbigo, mas seus sentimentos por Percy são realmente genuínos. O que aconteceu durante a leitura é que me vi indubitavelmente gostando de Monty, apesar de todos os defeitos dele ele não é má pessoa e fui me apegando tanto a ele que logo estava sofrendo junto com o personagem e torcendo para que ele ficasse bem logo.

O livro tem 500 páginas mas em nenhum momento achei que ele ficou lento ou arrastado, a escrita foi bem imersiva e divertida, com várias passagens engraçadas que me fizeram rir alto. Apesar de algumas coisas parecerem meio impossíveis de acontecer acredito que consegui me colocar num papel de Leitora Modelo enquanto lia e isso me fez aproveitar a obra ao máximo.

Mas estou me delongando e preciso mencionar algo importante e crucial: o relacionamento de Monty e Percy! Os dois são maravilhosos e eu shippo tanto que dói (preciso procurar fanarts logo). Eles são tão diferentes e ao mesmo tempo se complementam tão bem. Percy realmente traz o melhor de Monty e houve muitas passagens onde Monty está descrevendo algo sobre Percy ou falando como a luz deixa os cabelos dele lindos, ou comparando a beleza dele com estrelas que realmente me fizeram desfalecer.

Contra o céu, as estrelas o coroam, fazendo os contordos de sua silhueta parecerem uma constelação dele mesmo.

Outra coisa importante e digna de nota é a Felicity, ela cresce muito durante a história, e o que começou como uma irmã mais nova que faz comentários ácidos se tornou uma personagem importantíssima para a história, quebradora de padrões e feminista. Eu estou deslumbrada com a personagem e incrívelmente feliz com o rumo que ela tomou. Foi muito revigorante e inspirador ver a autora inserir temas como feminismo, racismo e homofóbia e um uma história que se passa no século XVIII de forma tão coerente e sem ser anacrônica.

The Gentleman’s Guide to Vice and Virtue é um prato cheio. É realmente uma aventura lê-lo e ao terminar é até difícil de se despedir dos personagens pois realmente parece que vivemos tudo aquilo juntos, e é emocionante torcer para o sucesso deles e também para o relacionamento de Monty e Percy.

Felizmente haverá um segundo livro e a protagonista será nignuém menos que Felicity!! Estou muito ansiosa!

Recomendo muito o livro para quem quer se deliciar com uma boa história e mergulhar em outra época, e uma coisa muito legal é que além da autora citar diversos eventos/momentos históricos reais (incluindo o próprio Grande Tour) no final do livro ela ainda faz uma espécie de compilação de algumas pesquisas que fez sobre diversos aspectos que são abordados no livro e como eles eram vistos pela sociedade da época.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.