O Jardim das Borboletas – Dot Hutchison

Perto de uma mansão isolada existia um maravilhoso jardim. E nele cresciam flores exuberantes, árvores frondosas e uma coleção de precisosas “borboletas”: jovens mulheres, sequestradas e mantidas em cativeiro por um homem brutal e obsessivo, conhecido apenas como Jardineiro. Quando o Jardim é finalmente descoberto, uma das sobreviventes é levada ás autoridades a fim de prestar depoimento. Os dois agentes do FBI, Victor Hanoverian e Brandon Eddison tem a dificil tarefa de juntar as peças do quebra cabeça e dissecar todo o caso. Entretanto, Maya, a enigmática garota responsável por contar essa história, não parece disposta a esclarecer todos os detalhes sórdidos de sua experiência. Em meio ao seu relato os agentes têm a sensação de que ela esconde algum segredo.

A verdade era a única coisa que podia ser sempre minha.

A sinopse do livro (combinada com a capa maravilhosa) foi suficiente para intrigar sobre o livro. Fiquei extremamente curiosa para saber mais sobre essa história e poder então desvendá-la no decorrer das páginas. De fato, O Jardim das Borboletas é uma leitura viciante. Devorei-o em dois dias, lendo madrugada adentro, incapaz de largar o livro. A escrita da autora é fluida e os horrores que cercam a história prendem o leitor. O livro é dividio em três partes, separadas por lindas ilustrações de borboletas, e dentro de cada parte não há capítulos, mas pequenas sombras de borboletas separam os dois tempos narrativos. O primeiro tempo é no presente, narrado em terceira pessoa, onde a recém resgatada Maya é levada para interrogatório pelos agentes do FBI. Ela é quieta, cínica, misteriosa e parece não querer contar muito sobre si aos agentes, mas no decorrer da narrativa o agente Victor Hanoverian ganha a confiança de Maya e aos poucos ouve sua história. O segundo tempo é o passado, onde Maya narra em primeira pessoa sua experiência no Jardim. Desde muito antes de ela ser sequestrada ela conta alguns dos piores momentos pelos quais já passou, e as informações que passa começam a juntar as peças do quebra cabeça do porque ela ser como é.

Meus segredos são velhos amigos. Eu me sentiria uma péssima amiga se os abandonasse agora.

O livro é denso e pesado, mas em nenhum momento isso me impediu de ler diferente do que aconteceu enquanto lia Lolita, que tinha que fazer pausas durante a leitura. Não há nenhuma cena explicitamente gráfica na narrativa, mas a maestria da escrita da autora se dá justamente nisso, em passar todos os horrores, o medo e a sensação de vulnerabilidade sentida pela protagonista (bem como as outras garotas sequestradas) sem em nenhum momento descrever algo explicito. É dessa forma que o leitor percebe toda a perturbação doentia dos atos cometidos pelo Jardineiro e fica com essa inqueitante sensação de incômodo enquanto lê.

Acho que me acostumei tanto com os horrores do Jardim que esqueci quão horrível o mundo exterior também pode ser.

O que me fez dar a este livro a classificação de quatro estrelas foi que em minha opinião o final ficou um pouco apressado e anticlimático depois de toda a crescente atmosfera construída durante a narrativa, as últimas cinquenta páginas perderam um pouco do ritmo e da leveza da história, meio que encerrando o livro de uma maneira prematura. Houve também uma “plot twist”, note o uso das aspas, visto que para mim não foi plot twist alguma já que não acrescentou em nada à narrativa e até tornou algumas coisas um pouco sem sentido.

Ainda assim gostei muito do livro, especialmente da presença feminina nele e dos relacionamentos entre as mulheres bem como as diferentes personalidades e qualidades de cada uma. Todas as meninas sequestradas acabaram por criar laços entre si e isso de maneira inegável acabou por mantê-las fortes e dispostas a continuarem vivendo. O Jardim das Borboletas é uma excelente escolha para quem procura um thriller rápido, grotesco, mas que ainda assim possui beleza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.